06mar

O uso de aplicativos para uso cotidiano e também para compras disparou no ano passado, mas parece que os varejistas têm um longo caminho pela frente em termos de desenvolvimento de apps, de acordo com uma pesquisa de Dezembro de 2014 da Boston Retail Partners. Entre os varejistas entrevistados na América do Norte, apenas 16% tinham aplicativos no smartphone que funcionavam bem. 22% possuíam um aplicativo que funcionava bem, mas disseram que precisavam melhorá-lo, enquanto 46% tinham planos de instalar um aplicativo em três anos.

Segundo uma pesquisa realizada em Outubro do ano passado, pela YouGov para a inMobi, nos Estados Unidos, dois terços dos usuários de internet móvel consideram a possibilidade de buscar preços a melhor funcionalidade de um aplicativo. Checar a disponibilidade dos itens e opções de comparar compras – foram as classificadas em segundo e terceiro lugar entre as funcionalidades mais úteis.

ncluir informação de preço nos aplicativos mobile dos varejistas é ainda mais importante quando o showrooming é levado em consideração. Menos da metade dos usuários de internet dos Estados Unidos entrevistados pela Harris Interactive em Dezembro 2014 eram “showroomers”, e segundo pesquisa recente da comScore, o preço desempenhava um papel crucial nas decisões de comprar online.

Entre os usuários de smartphone entrevistados, 52% disseram que usavam seus aparelhos para buscar por melhores preços, enquanto compravam na loja física. Procurar por promoções online e melhores ofertas ficou em segundo lugar, alcançando 16% dos entrevistados, enquanto outros detalhes não relacionados a preço como informações e comentários do produto tiveram um aumento de 21 pontos.

Com informações de: eMarketer e www.ecommercebrasil.com.br

emarketer